jusbrasil.com.br
24 de Junho de 2017
    Adicione tópicos

    Nota de esclarecimento

    Depoimento de empresário Joesley Batista à PR/DF

    O Ministério Público Federal (MPF/DF) esclarece que, ao contrário do que foi divulgado na edição desta terça-feira (13) do Jornal Nacional e no site G1, o empresário Joesley Batista Mendonça e o diretor da empresa J&F, Ricardo Saud, não foram ouvidos por determinação do juiz federal que atua na Operação Bullish. Os dois prestaram esclarecimentos ao procurador da República Ivan Cláudio Marx no âmbito de um Procedimento Investigatório Criminal (PIC) instaurado para apurar o repasse de recursos por parte do grupo empresarial ao Partido dos Trabalhadores, por intermédio do ex-ministro da Fazenda, Guido Mantega. Os recursos, originários de contratos com o BNDES, Funcef e Petros, teriam contas no exterior como garantia, cujos extratos seriam mostrados por Mantega aos ex-presidentes Lula e Dilma. A informação que motivou a abertura do PIC consta do acordo de colaboração premiada firmada pelo empresário com a Procuradoria Geral da República (PGR) e homologada pelo Supremo Tribunal Federal. Como não envolvem pessoas com prerrogativa de foro, o caso foi enviado à primeira instância, tramitando de forma reservada na Procuradoria da República no Distrito Federal.

    Assessoria de ComunicaçãoProcuradoria da República no Distrito Federal (61) 3313-5460 / 5459 / 5458www.mpf.mp.br/dftwitter.com/MPF_DF

    0 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)